Publicado em 02 de dez de 2016 por Igor Mattos

Adam Nilmoy comentou no painel, sobre o documentário “For the Love of Spock”, confira:

Agora estou em São Paulo, é uma honra estar de volta com vocês aqui. Hoje, eu quero contar para vocês o amor do Spock antes de mostrar para vocês o filme, é um filme que eu comecei com o meu pai, em novembro de 2014. Eu falei com ele. Pai, a gente deveria fazer um documentário sobre o Spock, porque eu sabia que 50 anos de Star Trek, 50 anos, meio século de Spock! É o momento que eu falei para o meu pai que deveríamos fazer esse filme, logo de cara, ele falou. Sim! Logo depois, a gente estava trabalhando já há 2 meses, no trabalho, logo em seguida meu Pai faleceu e ficou claro para mim que precisávamos expandir o filme e incluir não somente o Spock, nas a vida e o legado de Leonard Nimoy.

Vimos o documentário sobre a vida e morte do Leonard Nimoy, e o impacto do Spock na vida dos fãs e da família do ator.O documentário contou muita coisa, tanto previsíveis e quanto interessantes.

A primeira crítica que saiu sobre a série pela Variety, criticou bastante a série, disse que não iria à frente, e os atores pareciam uma porta atuando, além de ter chamado o Spock de monstro. Quando saiu no jornal, mudaram a imagem do Spock, deixaram mais “normal, aceitável”, mudaram as sobrancelhas e tiraram as pontas das orelhas. Falaram que ele era um personagem demoníaco.

O símbolo de vida longa e próspera, foi um símbolo visto pelo Leonard quando ele era criança, numa igreja, representava uma letra hebraica que significava Deus. A ideia inicial era Spock dar uma coronhada no ombro das pessoas, mas já que ele era um personagem muito inteligente e estudado, decidiram colocar esse “símbolo da mão” (que significa Vida Longa e Próspera).

Adam muitas vezes sentia que os fãs ganhavam mais atenção do Pai do que ele. Os dois tinham uma relação bem conturbada. De todo o elenco do piloto, o único que  permaneceu foi o Leonard. Ele não chegou a fazer teste para o papel, gostaram dele já de cara, principalmente porque ele tinha ótimas maçãs do rosto conseguiam visualizar o personagem nele.

Junto de David Zappone,um dos produtores do documentário, Adam revelou que Leonard foi convidado para participar do recente filme da franquia “Star Trek: Sem Fronteiras”. “Pela primeira vez, meu pai disse não para um projeto de Star Trek. Ele já estava muito doente e ficou muito triste, mas entendeu que não seria possível”, explica.

Esbanjando simpatia, Nimoy encerrou o painel dizendo em português uma das frases mais marcantes do personagem Spock: “Vida Longa e próspera”.

São Paulo, 02 de dezembro de 2016. Cobertura do evento CCXP 2016 no São Paulo EXPO. For the lovo of Spock - 50 anos de Star Track - em seguida debate com Adam Nimoy e David Zappone. (FOTOS: DANIEL DEAK)

São Paulo, 02 de dezembro de 2016. Cobertura do evento CCXP 2016 no São Paulo EXPO. For the lovo of Spock – 50 anos de Star Track – Adam Nimoy e David Zappone. (FOTOS: DANIEL DEAK)

Comentários

Este artigo não possui comentários

”Mulher