Publicado em 25 de jul de 2016 por Mayara Armstrong

Desde a estreia, em 14/07, do seu filme, Ghostbusters, Leslie Jones, que interpreta a protagonista Patty Tolan, foi vítima de ataques racistas em suas mídias sociais simplesmente por fazer seu trabalho e demonstrar ser uma ótima atriz. Hoje, 24/07, a atriz utilizou seu twitter para espalhar uma mensagem de paz, amor e desconstrução diante de toda discriminação que sofreu. Além disso, ressaltou a importância de não abaixar a cabeça ou desistir, de seguir em frente, como a guerreira que ela é e que todos temos dentro de nós.

Leslie comenta em um de seus tweets, “Isso é tão triste, eu costumava amar entrar aqui. Mas agora há tanto ódio no meu feed.  Que, às vezes, supera o amor porque é tão ruim”.

Ainda ressalta, “Eu não sou uma pessoa detestável, eu apenas desejo que as pessoas sejam felizes. Essas pessoas infelizes que enviam coisas… Apenas… Muito desanimador. Eu sinto por eles. Antes de escrever uma estória… Eu não vou embora. Eu apenas estou dizendo que temos tanto ódio e tristeza no mundo. Saia e seja gentil com alguém”. E continua, “Pessoas feridas ferem pessoas. A maioria dessas pessoas, eu não acho que elas acreditem nas coisas que falaram. Isso é apenas um monte dor, abrace alguém. Nós temos que começar por ai. Então… Eu não vou responder essas pessoas com mais ódio, apenas com amor. E, em seguida, bloquear e denunciar esses burros. Não vão mais aborrecer”.

Várias celebridades e fãs prestaram apoio a atriz. Como o diretor do filme, Paul FeigKatie Dippold, roteirista do longa; A comediante Margaret Cho, que se referiu a Leslie como sendo uma inspiração; John Boyega; Anna Kendrick; Katie Lowes; Chelsea Peretti; Entre outros.

E Leslie continua, “Eu preciso que todos saibam que eu passei o suficiente na minha vida” e destaca “Nada vai me parar. Especialmente ódio. Eu sou uma GUERREIRA. Não se esqueçam disso”.

É importante ressaltar que Leslie não foi a unica pessoa a sofrer discriminação por ser negra e que as discriminações, no geral, acontecem todos os dias, tanto longe quanto perto de nós. Estamos percebendo cada vez mais os discursos de ódio presentes em pessoas consideradas geeks… Será que elas não aprendem nada com os filmes?             Considerando que se omitir é escolher um lado, o lado da negação da discriminação e, consequentemente, sua aceitação, a pergunta que fica é: Seus comportamentos são inclusivos ou excludentes? 

Comentários

Este artigo não possui comentários

”Mulher