Publicado em 28 de maio de 2017 por Lucas de Souza

Depois de quase 30 anos sem ter um título solo no Brasil, chegou às bancas a nova mensal da Mulher Maravilha que estreia a nova fase da heroína e também da DC Comics. 

Universo DC Renascimento é o nome dado a nova reformulação da DC Comics, onde a editora pretende trazer o espirito de heroísmo, otimismo, o épico e o legado as suas histórias, assim fazendo com que os leitores tenham a sensação de está lendo o Universo DC clássico hoje em dia, desta forma atrair de volta seus antigos leitores e facilitar o acompanhamento dos seus títulos para quem quer começar a embarcar no universo sem ficar perdido.

Nesta nova fase da heroína e também das outras respectivas histórias do Universo DC Renascimento, a editora aposta na volta das equipes criativas que trouxeram o melhor de cada herói nesses últimos anos e que entendem bem os personagens. Aqui na revista da Mulher Maravilha temos a volta de Greg Rucka no roteiro, que ficou conhecido por escrever vários arcos nos quadrinhos da heroína e na parte artística temos dois desenhistas Nicola Scott e Liam Sharp.

Nesses primeiros números lançados no Brasil temos Diana refletindo sobre si mesma e a história da Mulher Maravilha, assim tentando compreender que acontecimentos foram reais e quais não foram como suas origens, se ela nasceu do barro ou foi fruto de uma relação entre sua mãe Hipólita com Zeus. Diana se questionando sobre todos os acontecimentos da sua vida pega o elmo do deus Ares que é indestrutível e o amassa, desta forma falando que não deveria ser capaz de destruir o elmo e então resolve usar o laço da verdade em si mesmo e descobre que foi enganada.

Diana então começa a se perguntar quem fez isso e diz que foi feita de tola por não admitir que a história continua mudando numa cena em que ela quebra um espelho, nos cacos temos reflexos de toda sua história sendo mostrados. Andando pelo seu quarto ela tira o que seria seu uniforme da fase “Os Novos 52” e aparece usando seu uniforme pré Flashpoint, saga que deu início aos Novos 52, para descobrir onde deu o passo errado em toda essa história e descobrir a fonte dessa farsa. Procurando por explicações ela parte para Olimpo e descobre que o lugar que ela achava ser o Olimpo também era uma farsa, assim Diana parte em busca de respostas e a procura de sua terra natal Themyscira.

Mulher Maravilha Renascimento se passa em duas realidades paralelas, uma Diana está à procura de Themyscira e nessa busca procura ajuda de Barbara Ann (Mulher Leopardo) para que ela ajude a encontrar o caminho de casa, em paralelo a essa busca temos Steve Trevor em uma missão militar e na outra temos Diana redescobrindo sua origem. Essas duas realidades iniciam dois arcos e pelo que dá a entender futuramente teremos um encontro dessas duas narrativas.

Nessas primeiras edições a história é meio confusa, junto com Diana também estamos à procura de respostas sobre o que aconteceu com o passado da heroína e o que o futuro reserva a ela. Fica a espera que essas respostas sejam mostradas já no final do primeiro arco. Mulher Maravilha Renascimento é uma boa pedida para quem pensa em comprar a HQ, com desenhos muito bons e uma leitura bem dinâmica, pelo o que se parece a DC quer fazer desse quadrinho a porta de entrada definitiva para o universo da amazona.

Mulher Maravilha Renascimento é uma publicação mensal da Panini Comics, que teve seu lançamento em abril de 2017, a revista tem 52 páginas e compila duas edições com o preço de R$ 7,50.

Comentários

Este artigo não possui comentários

”Mulher