Publicado em 14 de fev de 2017 por Tamires Arsenio

Cosplays costumam ser considerados, principalmente, uma forma de diversão. Seja por uma brincadeira descontraída e despretensiosa ou pelo prazer de ver o resultado de um trabalho duro de confecção e caracterização de personagem. Mas ele pode ser também um jeito (ainda divertido) de se sentir conectado com personagens que encantam.

Por que eles não poderiam então ser também uma ferramenta de empoderamento e representatividade? Minorias, como os negros, já são pouco representadas na mídia. O cosplay dá não apenas a oportunidade de reverenciar os personagens que fazem parte dessas minorias, como de fazer adaptações para proporcionar identificação com eles.

A campanha #28daysofblackcosplay surgiu com esse objetivo. Fevereiro é o Mês da História Negra nos EUA, Reino Unido e Canadá. Foi para celebrar o evento que a cosplayer Chaka Cumberbatch criou a hashtag, há alguns anos. Ela foi então incorporada por pessoas desses e de outros países, que desde então mostram seus cosplays e espalham representatividade negra pela internet. Chaka ainda disponibilizou um calendário com temas para os cosplays participantes. Não é obrigatório segui-lo, mas ele ajuda a entrar no espírito.

Pensando em todas essas questões, nós do OFELM queremos incentivar a campanha entre os leitores. O mês já está na metade, mas ainda dá tempo de participar. Que tal enviar uma foto do seu cosplay pra gente? Você pode mandar pelo inbox da nossa página (nesse link) ou postar nas suas redes sociais, com a hashtag #28daysofblackcosplay junto da nossa #blackcosplayofelm. Nós iremos postá-las na página do Facebook. Vale cosplay fiel, gender bender (troca de gêneros), adaptação…

Se ainda não fez o seu, aproveite a oportunidade e se jogue! Vamos adorar ver! Vale cosplay fiel, gender bender (troca de gêneros), adaptação… Para te incentivar/inspirar/apaixonar, confira a galeria abaixo com alguns cosplays incríveis que já vimos por aí. Você também pode conferir a hashtag nas redes sociais, como Facebook, Twitter e Instagram.

 

Comentários

Este artigo não possui comentários

”Mulher