Publicado em 31 de out de 2016 por Igor Mattos

Uma explosão de conhecimento para quem não conhece a mitologia africana. PJ Pereira que é autor desta trilogia nós demonstra através dos seus três livros o quão é rica essa história que vive a cerca dos preconceitos e racismos que fomos colocados sempre pensando que é negro não é bom e termos que estão na nossa língua que fazem acreditarmos nisso desde quando éramos crianças como, nego só faz merda, nego tá viajando e por ai vai, contudo meu propósito não é falar sobre tais preconceitos e sim falar sobre esta linda e importante história.

No inicio somos levados há tempos antigos e somos apresentados a Orunmilá, um Babalaô que ver seus instrumentos para leitura do destino se calar e não consegue ler as mensagens que os Orixás passam para o Aiyé. Então Orunmilá pede a Exu que é seu mensageiro entre os Orixás, para ir até Orun e saber de Oxalá o porquê do destino se calar. Nisto surge Newton Fernandes, um jornalista ambicioso que está sempre em busca de sua matéria e que já se encontra no nosso tempo atual e com isso ele se envolve pela primeira vez com o mundo espiritual e começa a busca informações sobre este mundo que lhe chamou a atenção. Exu retorna ao seu mestre com a mensagem de Oxalá dizendo que o destino foi roubado pelas as Iá mi Oxoronga, as mães ancestrais, e que caberia a Orunmilá reunir um grupo de guerreiros para recuperar os dezesseis príncipes do destino que são conhecidos como Odus e daí que temos inicio a está jornada de Orunmilá em busca dos Odus.

Com essa jornada iniciada somos apresentados a mitos africanos que normalmente é zeras no nosso conhecimento desta cultura porque sempre quando pensamos em deuses, vemos a imagem dos deuses gregos em nossa mente como os belos e neste pequeno grupo temos outros deuses belos que poucos conhecem e para você que nunca teve contato com a mitologia este é o momento perfeito para aprender e se maravilhar com esta história.

Na leitura temos uma imersão de aventuras com tais deuses que nos leva as suas batalhas mitológicas e acontecimentos que se adentrem a mitologia africana. Temos romance com sutileza e bem trabalhado para os personagens e estes tais personagens não só estão ali para ser um simples par romântico, todos que ficam no grupo tem sua responsabilidade e sabem por que lutam.

Contudo temos o outro lado no livro que não se aborda a história dos deuses e sim do nosso outro personagem o jornalista, Newton é ele que no livro que começa a se interessar por este mundo dos orixás buscando respostas pelo que ele passou e com isso entramos num mundo de interesses onde não temos só os deuses na narrativa e sim humanos com seus próprios interesses pessoais neste mundo onde tudo está conectado.

PJ Pereira faz você se envolver com estes personagens e com a história que ele atribui e você irá pensar como nunca tive conhecimento deste mundo. Deuses de Dois Mundos abre o conhecimento para a cultura africana que poucos conhecem e faz você querer mais deste mundo e se interessar pela cultura africana.

Deixei um pouco da história ali para quem se interessar em ler, além do conhecimento afro é uma narrativa de aventura para quem for explorar este mundo.

Comentários

Este artigo não possui comentários

”Mulher