Publicado em 24 de jul de 2017 por Lucas de Souza

Um dos motivos para a DC Comics começar esse reboot que não é um rebot, porque mantem coisas mostradas na fase Os Novos 52, foi a reclamação dos fãs e o rumo que as histórias estavam tomando. Um dos mais afetados foi um dos grandes heróis da editora e carro chefe dela, o Homem de Aço, que sofreu inúmeras mudanças durante suas publicações, como a troca constante de desenhistas, roteiristas, perdeu seus poderes, ganhou novos, entre varias outras coisas.

O azulão até começou bem durante o início da fase Os Novos 52, conseguiu modernizar o personagem e atrair novos leitores, mas parece que o editorial não sabia que rumo dar ao personagem e isso afastou os leitores de longa data e gerou muitas reclamações por parte deles. A DC conseguiu trazer novos leitores para a revista do super, mas o conjunto da obra não estava ficando muito bom.

Até que surge o que seria o Rebirth ou Renascimento aqui no Brasil, que tenta trazer de volta toda a “magia” que existia nas suas histórias, que foi esquecido após as reformulações que a editora fez e um dos personagens que mais se deu bem com isso foi o Superman.

Tudo isso começa com a grande evento que aconteceu nas suas HQ’s em 2016, Convergência que comemorou o aniversário de 30 anos das Crises Nas Infinitas Terras, grande acontecimento que mudou o Universo DC em 1985. Neste evento temos Brainiac coletando cidades e seus habitantes de diversas cronologias extintas ou existentes e colocando em um planeta, fora do tempo e espaço. Neste planeta essas cidades são colocadas para lutar até que sobre uma vencedora. Na HQ temos a introdução do Superman que vai substituir o azulão dos Novos 52.

Em Convergência somos mostrado ao Superman clássico, aquele que enfrentou o famoso vilão Apocalipse nos anos 90 e que causou sua morte no grande evento da época, A Morte Do Superman, só que aqui estamos vendo ele vários anos depois de ter enfrentado o Apocalipse e prestes a ter um filho com a sua esposa Lois Lane.

Após os acontecimentos de ConvergênciaLois e Clark ficam sem ter pra onde ir, devido a destruição da cidade deles e após isso acabam ficando na realidade onde se passa a cronologia dos Novos 52, assim vivendo em uma Metrópolis completamente diferente de onde eles viviam. Isso da inicio a outra leitura importante para entender o personagem no Renascimento, Superman: Lois & Clark, que é continuação direta dos acontecimentos de Convergência. Neste quadrinho somos apresentado a um novo personagem, Jon Kent, o filho do casal e nela é mostrada o dia a dia de Clark neste novo mundo onde ele não pode ser mais o Superman e atua em segredo como o herói usando a famosa roupa preta, Lois que agora escreve para alguns jornais locais e para não gerar suspeitas o casal adota novas identidades. E o ponto principal da revista é mostrar o crescimento de Jon e o começo das aparições de suas habilidades.

Para começar a preparar o terreno para o Renascimento do personagem, as publicações finais das revistas do Super nos Novos 52, mostrou os últimos dias do Superman nesta terra, que foi lançado num encadernado chamado Superman: Fim dos Dias, onde Clark acaba contraindo uma doença devido sua constante exposição a pedra Kriptonita e descobre que está prestes a morrer, assim ele parte em uma jornada para se despedir dos seus amigos e acaba tendo um encontro com o outro Clark que vivia escondido no seu mundo.

Nessa nova reformulação, o herói ganha duas revistas, Superman Renascimento e Action Comics Renascimento. Em Superman Renascimento temos o novo Clark indo buscar o corpo do Superman em seu tumulo para enterrar na fortaleza da solidão e nela temos o Superman clássico assumindo oficialmente o manto do herói e Jon descobrindo seus poderes, que seu pai foi um herói em seu antigo mundo e agora é herói nesta nova terra também, além de Clark ter de ensinar ao seu filho a enfrentar todos os dilemas que ele passou em sua, principalmente em na sua infância/adolescência. Para os fãs de longa data as novas HQ’s são um prato cheio com muitas referências as suas histórias clássicas, além de ter um dos vilões que ficou famoso nos anos 90, o Erradicador.

Na Action Comics somos apresentados a uma Metrópolis que sofre com luto da perda do seu grande herói e temos Lex Luthor assumindo o posto do Superman, há também a volta do vilão Apocalipse que reaparece nas histórias do Homem de Aço. As primeiras edições são marcadas pela desconfiança do Super com Luthor, onde o azulão acredita que ele pode está tramando algo e o embate dos dois contra o Apocalipse. A revista tem o foco nas sequências de ação, sendo um prata cheio para aqueles que amam grandes confrontos.

Comentários

Este artigo não possui comentários

”Mulher