Publicado em 30 de dez de 2016 por Tarcio Matos

2016 foi um ano excelente para o mundo da música. Tivemos Lady Gaga numa pegada mais country, Rihanna num álbum mais independente e o retorno sensacional do Radiohead. Pensando nisso a equipe OFELM se reuniu para escolher os melhores álbuns de 2016. Confira abaixo:

6. Take One For The Team (Simple Plan)

“O álbum saiu com musicas incrivelmente lindas, algumas feitas para grandes festivais trazendo muito da essência da banda que já teve grande sucesso com o público jovem. E trouxe também muito do pop punk, com uma pegada mais madura, coisa que hoje em dia não é tão valorizada, já que atualmente a música pop é mais procurada do que qualquer outra coisa. É importante arriscar mantendo o gênero rodando por aí, pois ainda existem muitos fãs do punk. A banda trabalhou durante 4 anos e conseguiu resgatar muitos fãs da banda e do gênero.” [Josias]

5. Dangerous Woman (Ariana Grande) 

“O álbum é aproximadamente uma hora de Ariana Grande em seus melhores vocais em estúdio. Ao longo do álbum, ela mostra sua versatilidade em vários gêneros, desde o intitulado reggae com Nick Minaj (Side to Side), sigles pop como “Into You” e R&B/Soul com a cantora Macy Gray (Leave Me Lonely). Em “Dangerous Woman”, Ariana Grande nos deu a oportunidade de conhecer um lado mais maduro e sensual de sua personalidade e a promessa de ser uma grande intérprete da sua geração.” [Matheus]

4. Lemonade (Beyoncé)

“Lemonade é , acima de tudo, um manifesto sobre a mulher negra e as nuances dela, sobre amor próprio, sobre a auto descoberta etc., o que é mostrado em toda a estética dele (por ser um álbum visual) e nas letras e interlúdios também. E é importantíssimo dentro da indústria e do cenário pop, porque marca uma nova fase e consolida a Beyoncé como uma artista que vai além de Single Ladies e que usa a musica dela como forma de protesto e identificação, o que foi cobrado por muita gente durante a carreira dela, fora o fato de ter uma qualidade musical superior a todos os trabalhos anteriores dela, com várias referências a outros estilos e artistas. O álbum é construído em cima da experiência dela de ter sido traída e ter perdoado o marido. Então todas as músicas passam o sentimento de cada fase que ela viveu durante o processo, que vai desde a melancolia, passa pela raiva e agressividade, até chegar no ponto onde ela perdoa e demonstra o amor que sente por ele. Tudo isso é muito bem encaixado, é bem lindo.” [Fernanda]

Lemonade é um álbum que realizou o que se propôs, chamar atenção pra a causa. O álbum inteiro fala sobre racismo, incluindo temas como escravidão, padrões de beleza, abuso de autoridade e independência feminina.” [Mayara]

3. 22, A Million (Bon Iver)

“Quatro anos após o lançamento de seu novo álbum, Bon Iver volta com seu novo e incrível disco. Entre sintetizadores, ruídos e melancolia, o músico transpassa suas memórias e ainda deixa boa parte para que o público desvende.” [Lucas]

2. This is Acting (Sia)

“É um álbum que reforça a pegada que a Sia tem levado desde “1000 Forms of Fear”. Aproveita muito dos vocais da australiana e mostra muito do potencial dela como compositora já que This is Acting é composto por músicas que foram rejeitadas por outros artistas (e pela própria Sia). Destaco muito “Alive”, “Bird Set Free” e “Unstoppable”, além de “Cheap Thrills” que ficou conhecidíssima. This is Acting tem letras fortes e marcantes, que falam sobre relacionamentos abusivos, reciprocidade e o próprio passado de Sia, sua relação com as drogas e suicídio. Algumas músicas são o retrato perfeito do nome do álbum, abordando o estilo “baladinha” (como em “Move Your Body”) que é um ponto fora da curva para a cantora, tornando tudo uma verdadeira atuação. ” [Jeniffer]

1. A Moon Shaped Pool (Radiohead)

“É um álbum poderoso. Possui letras inteligentes, melodias excelentes e vocais imersivos. Sempre me impressiono com a forma q essa banda faz suas críticas sociais de uma forma diferente, algo que sinto falta nos dias de hoje. Até como os clipes tem tanto a dizer. Nesse, como em todos os álbuns, eles tem muito a falar, e ainda abusam de longos instrumentais diversificados em cada música. É inexplicável a sensação q esse álbum transmite, é uma viagem única.” [John]

Menções Honrosas

The Getaway (Red Hot Chili Peppers), Blackstar (David Bowie), Here (Alicia Keys), Jardim-Pomar (Nando Reis & Os Infernais), Mind of Mine (Zayn Malik), Remonta (Liniker e os Caramelows)

Comentários

Este artigo não possui comentários

”Mulher