Publicado em 27 de ago de 2019 por Mayara Armstrong

Dirigido por Karim Aïnouz, longa premiado em Cannes conta com Fernanda Montenegro no elenco e concorre a vaga no Oscar.

A Vida Invisível foi o filme selecionado do Brasil para concorrer uma vaga ao Oscar 2020, na categoria Melhor Filme Estrangeiro. Em uma seleção com 11 longas, incluindo o novo filme de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, Bacurau, também premiado em Cannes. A Vida Invisível ganhou por um ponto a frente do seu concorrente, a votação ficou por 5 votos à 4 votos contra Bacurau, longa de abertura do Festival de Cinema de Gramado.

Baseado no romance de Martha Batalha, “A vida invisível de Eurídice Gusmão”, a ideia era dar voz às mulheres, segundo Karim
Aïnouz.
Foi também uma forma de homenagear sua mãe, que o educou sozinha, e sua avó que viveu 108 anos.

Década de 1940. Eurídice é uma jovem talentosa, mas bastante introvertida. Guida é sua irmã mais velha, e o oposto de seu temperamento em relação ao convívio social. Ambas vivem em um rígido regime patriarcal, o que faz com que trilhem caminhos distintos: Guida decide fugir de casa com o namorado, enquanto Eurídice se esforça para se tornar uma musicista, ao mesmo tempo em que precisa lidar com as responsabilidades da vida adulta e um casamento sem amor.

Fernanda Montenegro e Carol Duarte dividem o papel de Eurídice. O longa tem estreia prevista para 19 de setembro nos cinemas.

Comentários

Este artigo não possui comentários
”Mulher