Publicado em 17 de set de 2019 por Mayara Armstrong

O diretor Cédric Klapischi sempre explorou a pluralidade do mundo em suas obras, e depois de muito tempo, voltou a filmar em Paris para o seu novo trabalho, “(Des)encontros”, que chega aos cinemas do Brasil no dia 3 de outubro. 

“Eu queria retratar Paris de hoje. Paris mudou substancialmente e não filmo minha cidade há muito tempo. Eu queria fazer um filme simples, sobre duas pessoas solteiras no tempo das mídias sociais. Observar o que mudou. Utilizar a internet e as redes sociais constroem laços? A solidão é a mesma agora que era quando eu filmei “O Gato Sumiu”? A avaliação mais comum na mídia é de que vivemos um período de tensão, depressão, ódio e conflito. Eu senti que esse tipo de momento exigia falar sobre a necessidade de amor. Quando tudo está dando errado no mundo, por que ainda existe esse desejo profundo de encontrar alguém, essa ‘força da atração’? ”

Explica o diretor

Na história, dois jovens na faixa dos 30 anos, Rémy e Melánie, são vizinhos, mas não se conhecem. Ambos tentam vencer a solidão da cidade grande no mundo moderno. Enquanto ele não tem animo para conhecer novas pessoas, ela multiplica seus encontros nos aplicativos de relacionamento. Dois indivíduos, dois destinos. Sem saber, seus caminhos os levam na mesma direção.

Cédric Klapischi já trabalhou com os maiores atores da França, como Audrey Tautou, Cécile de France, Romain Duris, Gilles Lellouche e Juliette Binoche, e em “(Des)encontros”, traz de volta os atores de seu filme anterior “O Que Nos Liga”. Remy é interpretado por François Civil, uma das sensações do cinema francês atual.

(Des)encontros é o 13º longa-metragem do diretor, e será distribuído no Brasil pela Imovision.

Comentários

Este artigo não possui comentários
”Mulher