Publicado em 21 de dez de 2018 por Mayara Armstrong

Bird Box

20182 h 04 min
Overview

Num mundo pós-apocalíptico, Malorie (Sandra Bullock) e os seus filhos precisam chegar a um refúgio para escapar do "Problema", criaturas que ao serem vistas fazem com que as pessoas se tornem extremamente violentas. De olhos vendados para não serem afetados, a família segue o curso de um rio para chegar à segurança.

Metadata
Director Susanne Bier
Runtime 2 h 04 min
Release Date 12 novembro 2018
IMDb Id tt2737304

Enredos pós apocalípticos costumam ser bem representados nas telonas. Em meio as distopias apresentadas, o principal enfoque é, muita das vezes, o resgate à humanidade: A forma com que os personagens interpretam a nova realidade e a enfrentam, destacando suas resiliências, e reforçando suas habilidades sociais. Em Bird Box, não é diferente.

Somos apresentados a uma entidade sobrenatural, intangível e misteriosa, que aflora os medos mais íntimos de seus ‘hospedeiros’, fazendo-os reviver traumas e memórias dolorosas do inconsciente. Atormentados, a entidade os faz tirar a própria vida. Com uma onda de extrema violência nas ruas e suicídio coletivo mundial, o caos toma conta. A população não identifica a ameaça eminente – nem mesmo o telespectador, onde muito parte de suas interpretações imaginárias norteadas por suas vivências pessoais.

Netflix © − All right reserved.

É neste cenário que Mallorie Shannon (Sandra Bullock) se encontra, em sua busca por respostas e sobrevivência. Desconfiada, a introspectiva Mallorie recebe ajuda de um grupo de sobreviventes trancados em uma casa. Entre desavenças, incertezas e inseguranças, o grupo compreende que a ameça se instala no ‘hospedeiro’ através da visão.

É quando o publico compreende os tempos do roteiro não linear. Passado e presente se misturam: De um lado, vemos a personagem grávida tentando lidar com seus sentimentos em meio a confusão – desconfiança, afeto, rancor –, cinco anos antes, no inicio do caos; Do outro, vendada, e com duas crianças sob sua responsabilidade, Shannon se encontra com conflitos internos distintos – maneiras de exercer e manifestar sua maternidade; luto pelas perdas; lucidez psicológica; incerteza sobre segurança, etc.

Image from the movie ""

Netflix © − All right reserved.

Há inversões drásticas de papeis sociais… Retratando temas considerados tabus pela sociedade. Onde os considerados ‘loucos’ tornam-se lúcidos, as pessoas psicologicamente preparadas para ‘ensinar’ a encontra a ‘luz’. Ao terem contato com a entidade, as pessoas diagnosticadas com algum transtorno psicológico – que vivem inundadas pelo inconsciente –, encontram ‘salvação’ e precisam fazer mais pessoas encontrarem essa ‘salvação’. Logo, há dois grupos de sobreviventes, um em contato com a entidade e outro que foge da ameaça vigente.

Trazendo personagens com limitações sensoriais, fortes críticas sobre representação de deficiências são evidenciadas no longa: Por quê julgamos pela aparência? Conseguimos realmente ver sem enxergar? Humanização é outro ponto forte do longa: Como a mantemos? Como a perdemos?

Netflix © − All right reserved.

Com uma excelente atuação as cegas de Sandra Bullock, e uma belíssima fotografia repleta de detalhes, ora em florestas, ora em um rio, Bird Box é um suspense psicológico singular – apesar de ter inúmeras características genéricas, foge do padrão com um debate amplo sobre maternidade, relações afetivas, humanização, deficiências e, principalmente, a importância da saúde mental.

Bird Box (Caixa de Pássaros) chega ao streaming em 21 de dezembro.

Nossa equipe teve a oportunidade de assistir ao longa, baseado no livro homônimo de Josh Malerman e dirigido por Susanne Bier, em sua primeira exibição mundial durante a Comic Con Experience 2018, logo após um debate sobre o filme com os atores, Sandra Bullock e Trevante Rhoedes, e o produtor do longa, Dylan Clark.

Comentários

Este artigo não possui comentários

”Mulher