Publicado em 18 de out de 2018 por Mayara Armstrong

O Primeiro Homem na Lua

20182 h 21 min
Overview

A vida do astronauta norte-americano Neil Armstrong e sua jornada para se tornar o primeiro homem a andar na Lua. Os sacrifícios e custos de Neil e toda uma nação durante uma das mais perigosas missões na história das viagens espaciais.

Metadata
Director Damien Chazelle
Runtime 2 h 21 min
Release Date 11 outubro 2018
IMDb Id tt1213641
Actors
Starring: Ryan Gosling, Claire Foy, Corey Stoll, Kyle Chandler, Jason Clarke, Shea Whigham, Christopher Abbott, Brian d'Arcy James, Pablo Schreiber, Patrick Fugit, Cory Michael Smith, Skyler Bible, Lukas Haas, Brady Smith, J.D. Evermore, Steve Coulter, Olivia Hamilton, Stephanie Turner, Kris Swanberg, Perry Zulu Jr., Dustin Lewis, Gavin Warren, Shawn Eric Jones, Kent Wagner, Michael Lee Kimel, Greg Puckett, John David Whalen, Luke Winters, Choppy Guillotte, Anthony Paolucci, Braydyn Nash Helms, Caroline Davis, Ben Owen, Lucy Stafford, Katelyn Davis, Edmund Grant, Willie Repoley, Callie Brown, Connor Blodgett, George Linkenback, Claire Smith, Ethan Embry, Ciarán Hinds, Leon Bridges

Damien Chazelle, um dos diretores da nova geração de cineastas que chegou para revolucionar, conhecido por seus grandes sucessos, Whiplash – Em Busca da Perfeição (2014) e La La Land – Cantando Estações (2016), logo se tornou um prodígio de Hollywood. Com apenas seis anos de carreia, Damien acumula indicações e prêmios por ambos os filmes citados – o primeiro filme levou para casa três estatuetas do Oscar e três do BAFTA; já o musical, foi o líder de indicações ao Oscar 2017 totalizando quatorze indicações, vencendo seis delas. Sua mais recente produção, O Primeiro Homem, não será diferente.

O longa é baseado na biografia First Man: The Life of Neil A. Armstrong, de James Hansen, e conta a história do primeiro astronauta a pisar na Lua, Neil Armstrong (Ryan Gosling), no período de 1961 a 1969. Demonstrando todos os sacrifícios, perigos e gloria envolvida nesta missão. Como contar uma história baseada em fatos reais? Como adaptar de forma louvável algo conhecido pelo publico? Talvez você pense que esse deve ter sido um dos maiores desafios do cineasta, assim como eu pensei antes de ver o filme. Mas não foi.

Image from the movie "O Primeiro Homem na Lua"

© 2018 DreamWorks − All right reserved.

Sabemos o que acontece no final, mas não sabemos de todos os fatos que o levaram até lá, não sabemos todas as tentativas – e falhas – durante o desenvolvimento dos programas da Nasa – desde 61, do projeto Gemini ao Apollo. Não sabemos das motivações do Neil, sua ambição, o que sentiu, como lidou e muito menos a reação da sua família perante as incertezas de sua profissão. É esse o grande desafio de Damien, lidar com todas essas questões e em pouco tempo. E mais uma vez o cineasta demonstrou o motivo de ser tão reconhecido mundialmente.

A direção de Chazelle unida com o roteiro de Josh Singer (Spotlight, The Post), a direção de fotografia de Linus Sandgren (Joy, La La Land, Trapaça), e com a montagem de Tom Cross (Whiplash, La La Land, O Rei do Show) é como a magia do filme acontece. Há uma harmonização tão grande e suave, capaz de trazer o publico para a primeira pessoa, reflectindo toda angustia, toda sensação de estar dentro das naves espaciais, como Neil se sente com comentários desesperançosos e até como inconscientemente se expressa. Mesmo sendo uma pessoa pouco expressiva, Gosling e a produção fazem um trabalho diferenciado.

O ator se expressa muito pelo olhar e linguagem corporal, enquanto a equipe técnica foca nos efeitos visuais – principalmente nos planos de detalhamento, onde cada pequeno detalhe faz a diferença ao contar e ao sentir a história. É frequente as cenas filmadas pela visão do protagonista, focando em seus olhos e através deles, trazendo o telespectador para dentro da trama, possibilitando um maior vinculo pelos personagens. É uma experiência visual totalmente imersiva. Méritos, também, para a mixagem de som. Não são raros os momentos em que o som – ou a ausência dele – é o que guia o telespectador aos demais sentidos, ampliando sua forma de enxergar e sentir determinada cena. O resultado final é um deslumbre! – Há espaço apenas para sentirmos nossa respiração.

Image from the movie "O Primeiro Homem na Lua"

© 2018 DreamWorks − All right reserved.

A atuação mais destacável, sem dúvidas, é a de Claire Foy, dando vida a Janet Armstrong, esposa de Neil. Janet acompanha todas as missões em que seu marido participa, conciliando a grande exigência emocional como consequência a profissão do marido, com o auxilio à seus filhos para compreenderem toda situação vivênciada. Constantemente com medo de cria-los sozinha, Claire trás toda expressão fácil, toda emoção nitidamente sentida e vivida que falta na atuação do Ryan. Janet faz contraposto ao introspectivo Neil, este que expressa apenas sua angustia e inexperiência quando o assunto é carisma – porém, ambos possuem ambição. Ela fazendo-o encarar os próprios filhos. Enquanto ele, encarando os próprios receios. Apesar das perdas feitas pelo caminho, o protagonista encara de frente todos os obstáculos e não desiste dos seus objetivos – afinal, senão do que valeram as perdas?.

Sem heroísmos – característica tão presente nos filmes norte americanos -, o longa foca muito mais nas relações pessoais e no psicológico dos protagonistas, criando personagens verdadeiros, onde não há receios em como expressa-los ou em como eles se expressam – ao mesmo tempo que os retrata de forma comum, não os diminuem. Seus feitos profissionais não se sobrepõem a essência dos personagens – estas nítidas desdo primeiro ato. Como lidar com a responsabilidade de carregar o fardo pesado de suas escolhas, tentando não se abalar e não abalar ninguém? Angustiante e envolvente, O Primeiro Homem não oferece descanso para o telespectador, porém o respeita do inicio ao fim. 

Comentários

Este artigo não possui comentários

”Mulher